ENTENDA TUDO QUE FALAM NOS FILMES COMPLETOS ANTIGOS, DE AÇÃO, DE HUMOR E LANÇAMENTOS EM INGLÊS
Популярное

ENTENDA TUDO QUE FALAM NOS FILMES COMPLETOS ANTIGOS, DE AÇÃO, DE HUMOR E LANÇAMENTOS EM INGLÊS

48 Просмотры
Издатель
https://www.sciencenews.org/article/galaxy-oxygen-star-shrapnel-black-holes

Por que devemos tão somente estudar As Regras da Fonologia Inglesa, e não recorrer mais ao dicionário, a fim de dominarmos as pronúncias das cerca de 300.000 palavras do vocabulário inglês?
Eis os fatores que fazem com que a gente desista de vez de tentar inutilmente inculcar a fonologia inglesa através de 300.000 vocábulos.
Com a obra AS REGRAS COMPLETAS DA PRONÚNCIA DO INGLÊS veja a transformação em sua vida de aluno ou professor de inglês:

Existem aproximadamente 100.000 palavras em inglês de fácil tradução, como é o caso de INTEGER ( íntegro ), SPONTANEITY ( espontaneidade ), DIHEDRA ( diedro ), MYOPIA ( miopia ), CONTIGUITY ( contiguidade ), PERPETUAL ( perpétuo ), HALLUCINOGEN ( alucinógeno ), ATHEISM ( ateísmo ), INDICT ( indiciar ), DOCUMENTAL ( documental ), ANXIETY ( ansiedade ), TRACHEA ( traqueia ), etc. Imagine ter de ir buscar no dicionário de inglês 100 mil das 300 mil palavras as quais já sabemos o que significa. Imaginou? Ora, se ao menos fôssemos 1 vez só ao dicionário e decorássemos os sons de todas elas e não esquecêssemos mais seria uma maravilha. Mas não é o que acontece. E por quê? A resposta concludente para o fato de não lembramos das pronúncias das palavras inglesas quando vamos procurá-las no dicionário deve-se à amnésia natural resultante da ausência de repetição em curto intervalo de tempo. Ou seja, aquilo que não vemos periodicamente com frequência nos foge da memória. É assim que acontece não apenas ao tentar memorizar a fonologia completa dos vocábulos ingleses como também outras coisas do cotidiano.

E qual a solução para isso? A melhor maneira de saber pronunciar 300.000 palavras da língua inglesa, bem como aquelas 100.000 que já conhecemos seus significados, é alterar drasticamente o modo de lidar com essa questão. Em vez de abrir 300 mil pastas mentais para o som de cada vocábulo inglês, devemos tão somente trabalhar cerca de 1.000 arquivos de memória, um para cada regra fonológica, que são os sons das LETRAS EM DESTAQUE, LETRAS EM GRUPOS, LETRAS EM SISTEMAS, além de outras regras complementares. Como não esqueceremos das regras, porque elas são poucas em comparação com a totalidade de vocábulos do dicionário, sempre que estivermos lendo um texto de jornais americanos, por exemplo, olhando para as palavras logo nos lembraremos que elas não possuem som a não ser pelas letras que as compõem. Sendo assim, quanto mais vermos as letras, mais identificaremos as regras fonológicas atribuídas a cada uma delas em determinadas situações ortográfico-fonêmicas.

Em suma, não esquecemos a pronúncia das palavras do inglês em função da grande rotatividade das regras fonológicas ao lermos textos de jornais online. Usando a associação, um profícuo recurso que o cérebro nos oferece, podemos a jato antever até uma possível gafe simplesmente parando um pouco para pensar se essa ou aquela palavra insere-se ou não na lista dos exemplos das regras, variações ( se houver ) ou exceções. Como deu para perceber, uma coisa está intimamente associada a outra. Não usamos o intelecto devidamente quando abrimos arquivo mental para colocar dentro dele o som de uma só palavra inglesa. Assim, não existe correspondência entre o som de um vocábulo inglês com outro, meramente especulando suposições de regras fonológicas inventadas pela mente. Note o insucesso que acontece no momento em que você tenta ligar o som de uma palavra a outra: MARINE e MARINER, por exemplo, MARINE soa \ mə-ˈrēn \ por causa do grupo INE no final de vocábulos acima de 1 sílaba, e que soa de 4 maneiras dependendo das palavras. Já MARINER soando \ ˈmer-ə-nər \ não há mais o grupo INE no final e sim ER, ou VOGAL + CONSOANTE que indica um sistema especial determinador de proparoxítonos, a exemplo de AMAZON, AMERICAN, PYRAMID, REGULAR, DEFICIT, REGIMEN, JUPITER, POLYGON, excluindo regras como IC final, indicando paroxítonos, etc..

Não devemos culpar as escolas por elas não terem no passado ensinado inglês com regras de fonologia porque a obra da sistematização da fonologia inglesa completa somente foi publicada entre os anos de 2019 e 2020 no Brasil pela editora Alta Books, a maior publicadora de livros de idiomas da América Latina.

Para maiores informações a respeito da obra, visite a página do livro no Facebook, e inscreva-se no canal AS REGRAS COMPLETAS DA PRONÚNCIA DO INGLÊS para ficar todos os dias cada mais atualizado.
Категория
Программы для заработка в интернете
Комментариев нет.